LABACE Convention News

IBAC incita América do Sul a seguir o caminho da IS-BAO à segurança

 - August 12, 2013, 5:10 PM

O Conselho Internacional de Aviação Executiva (IBAC, na sigla em inglês) está aqui na LABACE novamente para continuar a informar os operadores de aeronave Sul-americanos sobre os Padrões Internacionais para Operações em Aeronaves Executivas (IS-BAO), programa voluntário estabelecido pouco mais de 11 anos atrás em resposta às mudanças nas exigências regulatórias no setor.

Recentemente, o IBAC anunciou que o programa, baseado em auditorias - que é um conjunto de práticas profissionais da indústria reconhecidas pelas maiores autoridades regulatórias e pelo ICAO - havia registrado seu 700º membro. São, em sua maior parte, operadores de aeronaves privadas executivas, mas o programa também inclui operadores de fretamentos aéreos e/ou gerenciadores de aeronaves. O IS-BAO atualmente tem participantes em 37 países em todo o mundo.

“Independente da localização, operadores de executivos privados e de fretamento aéreo beneficiam-se do IS-BAO por seu sistema de padrões bem integrado que promove a segurança, eficiência e eficácia,” disse John Sheehan, gerente de auditoria do IBAC. “O IS-BAO usa um sistema de gerenciamento de segurança de alta qualidade como mecanismo central de integração para auxiliar os operadores a administrar o risco operacional a um nível tanto baixo quanto razoavelmente praticável, não importando o tamanho ou tipo de operação. Uma vantagem do programa garante aos operadores que eles atendam todos os padrões ICAO para operadores privados de aeronaves grandes e/ou turbojatos.”

O IS-BAO tem sido descrito como o estabelecimento de uma cultura de segurança verdadeiramente participativa e não punitiva, dentro de uma operação, e seus objetivos são nutrir um protocolo de práticas voluntárias para o mundo da aviação executiva através da adoção de sistemas de gerenciamento de segurança (SMS), um programa de medidas contra fadiga da tripulação, treinamento organizacional e de pessoal formalizado e a criação e uso de manuais operacionais e planos de resposta a emergência. Isto é importante já que análises de acidentes na aviação executiva mostram que entre 20 e 30 por cento deles poderiam ter sido evitados pela adesão às práticas do IS-BAO.

Atualmente, exceto pelo Brasil, o IS-BAO não tem gerado um interesse muito forte na América do Sul, segundo autoridades do programa. Apesar de alguns levantamentos feitos por empresas em países como Colômbia, Chile, Argentina, Brasil - que abriga muitas aeronaves privadas - mantém-se o reduto do programa no continente com apenas 12 operadores certificados. “Eu diria que é muito bom tanto para a aviação executiva quanto para os fretamentos. Eu diria que ao menos metade destes 12 operadores têm certificação de operação, e estes são alguns dos maiores operadores,” disse Sheehan. Dentre eles está a Líder, uma das maiores fornecedoras de serviços para a aviação do país, que opera uma série de FBOs assim como uma empresa de fretamento/gerenciamento de grandes aeronaves.

O IBAC (estande 3020), que representa 14 associações nacionais e regionais da aviação executiva, tem sido uma presença constante na mostra desde sua concepção, e a organização está novamente explicando seu papel jurídico e os serviços que fornece. “A LABACE é um evento importante para nós por ser nossa principal vitrine na América do Sul tanto para o IBAC quanto para o IS-BAO,” Sheehan disse à AIN. “Adicionalmente estamos apoiando um de nossos afiliados de longa data, a Associação Brasileira de Aviação Geral (ABAG).”

Aqui na mostra, o IBAC está conduzindo duas workshops de um dia inteiro: Os fundamentos do IS-BAO (quinta e sexta, no Auditório Santos Dumont 2), que descreve os trabalhos do programa, incluindo seus objetivos e como os operadores de aeronaves privadas podem obter seus vários níveis de certificação. Enquanto atualmente há oito auditores IS-BAO credenciados no Brasil, a segunda workshop - Workshop Credenciamento de Auditor IS-BAO - é direcionada a treinar pessoal pré-selecionado e já qualificado, que procuram tornarem-se auditores no programa.

“Nossas workshops na LABACE têm tido boa frequencia já que são as únicas conduzidas anualmente na América do Sul,” disse Sheehan. A LABACE é a primeira convenção de aviação executiva onde as workshops do IS-BAO têm sido completamente integradas em vez de acontecerem antes ou após o evento.