MedAire faz parceria com a AeroSafety

 - August 14, 2013, 12:15 PM
Quando surge uma situação médica durante um voo, membros da tripulação têm pronto acesso a um médico de um departamento de emergência para aconselhamento e auxílio através do MedAire’s MedLink Global Response Center.

A MedAire, uma empresa internacional de SOS, formou uma parceria estratégica com a AeroSafety, empresa com base em São Paulo, que está tentando “solidificar [nossa] posição como o principal fornecedor de kits médicos, equipamentos de emergência e serviços de gerenciamento de risco em viagem para as empresas da aviação comercial e privada no Brasil.” Juntas, as empresas (exibindo aqui no estande 3013) oferecerão uma ” solução compreensível para o gerenciamento de risco médico e de viagem.”

As empresas planejam anunciar novos produtos e serviços ao longo dos próximos meses, disseram em uma declaração poucos dias antes da LABACE. Estes irão incrementar o que eles podem oferecer no Brasil e na América Latina em geral.

Lílian Favareto Cretelia, parceira da Aerospace disse, “Nós escolhemos a MedAire para esta parceria por conta de sua filosofia de colocar o consumidor em primeiro lugar e seu compromisso com a segurança na aviação,” acrescentando que ajudaria os operadores a cumprir o “crucial componente médico e de segurança” de seus sistemas de gerenciamento de proteção contra acidentes.

A MedAire é hoje reconhecida sob o programa IS-BAO da IBAC como afiliada de serviços de suporte (SSA, na sigla em inglês). Grant Jeffery, CEO da MedAire, disse, “Gostaríamos muito de firmar esta parceria com o time da AeroSafety para suprir as necessidades de nossos clientes na aviação executiva e comercial no Brasil e além… A AeroSafety tem sido uma fornecedora de respeito e confiança na América Latina por mais de 15 anos. Há um encaixe natural entre a MedAire e nosso compromisso atual de alcance global com um toque local à comunidade da aviação.

No evento EBACE em Genebra em maio passado, a MedAire estava lançando seu HealthMap de 2013, uma ferramenta para ajudar empresas a entender os riscos médicos em países para onde seus funcionários viajam. Avaliação de risco seguida de preparação apropriada é essencial, diz MedAire, e inclui também ganhos com o entendimento da qualidade dos serviços médicos locais, riscos de doenças, vacinação exigida, exigências relacionadas a água e comida, dentre outros. Brasil, junto com Rússia, Índia e China, entram na categoria de risco médio a alto “porque há uma disparidade entre os riscos médicos e os serviços de saúde disponíveis entre as maiores cidades e as áreas rurais.”

A MedAire aponta um recente estudo que identifica expatriados vivendo e trabalhando nestes países como sendo seis vezes mais propensos a serem hospitalizados e 23 vezes mais propensos a serem evacuados por razões médicas que aqueles em países com baixo risco médico. Cerca de metade destes hospitalizados em países de risco médio precisam ser evacuados, acrescenta MedAire.